Ervas Medicinais

As mulheres Quilombolas são mães, parteiras, benzedeiras e curandeiras. Desempenham por isso uma série de actividades relacionadas com os processos de cura, nos quais a manipulação de plantas e ervas medicinais assumem especial destaque. Algumas das plantas que encontramos nas várias comunidades são assim utilizadas para fins medicinais, como remédio para as dores de cabeça, os enjoos, as cólicas, as inflamações, gripes e outras maleitas.    

Recolha de Plantas Medicinais

Recolha de Plantas Medicinais

Também para o combate ao mau-olhado as benzedeiras recorrem às plantas medicinais. Na verdade, na medicina popular, corpo e espírito são inseparáveis e o tratamento supõe, geralmente, um ritual.   

O ritual de cura reveste-se de mistérios. Símbolos sagrados, rezas, rosários, sal, água benta e nomes de santos envolvem o solo sagrado da casa das benzedeiras. Nalguns casos as rezas são acompanhadas de um receituário  que aconselha chás, banhos, infusões, defumadores, pagamentos de promessas e que inclui ainda advertências sobre o que se pode ou não se pode fazer no período de tratamento.  

Sem estudos, as benzedeiras e curandeiras têm conhecimentos específicos sobre cada erva e sobre os efeitos das várias plantas. Sabem bem quais as partes das plantas que podem ser utilizadas, qual a sua forma de preparo e quem as pode ingerir e quando.  

Benzedeira

Benzedeira

As rezas de cura têm passado de geração em geração e, ainda hoje, as benzedeiras imitam as tradições ancestrais. Recebem em sua casa quem nela entrar e necessitar de apoio segurando um ramo de folha na mão para soltar o mau-olhado no vento e rezando:

Deus é pai de Jesus / Jesus é pai do divino Espírito Santo / com o poder de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito / afasta todos os males desse corpo / Ámen.  

Comments are closed.